PEDIDO DE ORAÇÃO

PEDIDO DE ORAÇÃO
VAMOS REZAR JUNTOS - CLIK NA FOTO E DEIXE O SEU PEDIDO - Todos os pedidos são anotados em um livro e levados a presença do Senhor em Adoração e em seguida a Santa Missa, confie no amor de Deus. Se entregue a proteção da Sagrada Família.

LITURGIA DO TEMPO COMUM

REFLEXÃO DA SEMANA

SEMANA CLAMANDO POR MILAGRES

SEMANA CLAMANDO POR MILAGRES
Deus quer que experimentemos milagres – Ricardo e Marta

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Estudo Bíblico: Evangelho de Marcos X Capítulo

Estudo Bíblico: Evangelho de Marcos X Capítulo

10,1-12 – Não cometerás adultério

1. Jesus partiu daí e foi para o território da Judéia, do outro lado do rio Jordão. As multidões se reuniram de novo em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava. 2. Alguns fariseus se aproximaram de Jesus. Queriam tentá-lo e lhe perguntaram se a Lei permitia um homem se divorciar da sua mulher. 3. Jesus perguntou: "O que é que Moisés mandou vocês fazer?" 4. Os fariseus responderam: "Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e depois mandar a mulher embora." 5. Jesus então disse: "Foi por causa da dureza do coração de vocês que Moisés escreveu esse mandamento. 6. Mas, desde o início da criação, Deus os fez homem e mulher. 7. Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe, 8. e os dois serão uma só carne. Portanto, eles já não são dois, mas uma só carne. 9. Portanto, o que Deus uniu, o homem não deve separar." 10. Quando chegaram em casa, os discípulos fizeram de novo perguntas sobre o mesmo assunto. 11. Jesus respondeu: "O homem que se divorciar de sua mulher e se casar com outra, cometerá adultério contra a primeira mulher. 12. E se a mulher se divorciar do seu marido e se casar com outro homem, ela cometerá adultério."



Enquanto os seguidores têm sede de conhecer um pouco mais sobre a Boa Nova, os fariseus distanciam-se cada vez mais da graças por não verem Jesus como filho de Deus, e sim apenas alguém que põe em risco o sistema excluídor e opressor.

Como sempre o tiro sai pela culatra, os fariseus ao tentarem fazer com que Jesus entre em contradição, na verdade dão a ele a oportunidade de demonstrar a hipocrisia dos governantes, e reforçar a Lei de Deus. Os fariseus que tanto pregão o cumprimento da Lei, estão se deixando conduzir por uma permissão de Moises (diga-se de passagem, forçada), em detrimento da ordem maior que está contida nos vv.6-9. Finalizando Jesus aproveita para alertar a todos os que desta permissão fazem uso: “cuidado para não ferir o sexto Mandamento”. Você lembra qual é?

10,13-16 – Ser como criança

13. Depois disso, alguns levaram crianças para que Jesus tocasse nelas. Mas os discípulos os repreendiam. 14. Vendo isso, Jesus ficou zangado e disse: "Deixem as crianças vir a mim. Não lhes proíbam, porque o Reino de Deus pertence a elas. 15. Eu garanto a vocês: quem não receber como criança o Reino de Deus, nunca entrará nele." 16. Então Jesus abraçou as crianças e abençoou-as, pondo a mão sobre elas.

Jesus continua sua catequese insistindo na linha de pensamento de que não devemos barrar o acesso de quem quer que seja ao Reino de Deus (a Igreja pertence a todos que desejam viver sob o Senhorio de Jesus).

Somente a Bíblia Ave-Maria traz no v.15 o acréscimo “Em verdade vos digo: todo o que não receber o Reino de Deus ‘com a mentalidade’ de uma criança, nele não entrará." Desta feita direciona o pensamento para um único ponto; para merecer o Reino temos que “ser como crianças”: “puras, verdadeiras, simples, dependentes...”. Já as outras versões abrem espaço para outra afirmação: “para merecermos o Reino temos que acolhê-lo como se acolhe uma criança”, ou seja, com docilidade, amor, zelo...   

Marcos é o único evangelista a relatar que Jesus “abraçava e abençoava” (v.16), mas faz sentido já que ele escreveu com a finalidade de responder a pergunta: “Quem é Jesus?”. Assim descreve que Jesus é aquele que acolhe, ama e educa a todos sem distinção.

10,17-31 – A vida eterna tem inicio na vida presente

17. Quando Jesus saiu de novo a caminhar, um homem foi correndo, ajoelhou-se diante dele e perguntou: "Bom Mestre, que devo fazer para herdar a vida eterna?" 18. Jesus respondeu: "Por que você me chama de bom? Só Deus é bom, e ninguém mais. 19. Você conhece os mandamentos: não mate; não cometa adultério; não roube; não levante falso testemunho; não engane; honre seu pai e sua mãe." 20. O homem afirmou: "Mestre, desde jovem tenho observado todas essas coisas." 21. Jesus olhou para ele com amor, e disse: "Falta só uma coisa para você fazer: vá, venda tudo, dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro no céu. Depois venha e siga-me." 22. Quando ouviu isso, o homem ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque ele era muito rico. 23. Jesus então olhou em volta e disse aos discípulos: "Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!" 24. Os discípulos se admiraram com o que Jesus disse. Mas ele continuou: "Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! 25. É mais fácil passar um camelo pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Reino de Deus!" 26. Os discípulos ficaram muito espantados quando ouviram isso, e perguntavam uns aos outros: "Então, quem pode ser salvo?" 27. Jesus olhou para os discípulos e disse: "Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível." 28. Pedro começou a dizer a Jesus: "Eis que nós deixamos tudo e te seguimos." 29. Jesus respondeu: "Eu garanto a vocês: quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, filhos, campos, por causa de mim e da Boa Notícia, 30. vai receber cem vezes mais. Agora, durante esta vida, vai receber casas, irmãos, irmãs, mãe, filhos e campos, junto com perseguições. E, no mundo futuro, vai receber a vida eterna. 31. Muitos que agora são os primeiros serão os últimos, e muitos que agora são os últimos serão os primeiros."

A observância dos Mandamentos é a principal exigência para quem deseja seguir Jesus, o desapego as coisas materiais e a partilha são a segunda. Se vamos participar do Reino é preciso que a nossa fé e segurança esteja depositada em Deus e não nos bens terrenos. A partilha se faz necessária para que todos tenham vida em abundancia. A ostentação de poder, riqueza e status, não tem lugar em um Reino de igualdade.

Jesus ao destacar que os ricos não entrarão no Reino de Deus referiu-se não só aos ricos em bens, mas também em soberba, orgulho, vaidade, preconceito... Existem varias explicações para a expressão “um camelo passar pelo buraco de uma agulha” (v.25), mas todas deságuam no mesmo logo, Jesus usou de uma figura de linguagem extrema para enfatizar que o poder de Deus é maior que qualquer desejo humano.

A vida eterna tem inicio na vida presente, a escada que leva para o Reino de Deus é construída não com dinheiro, os degraus são sobrepostos com blocos de solidariedade, amizade, lealdade, amor, perdão... Abandonar-se por completo nas mãos de Jesus, abraçando a Boa Nova como projeto único, é o que nos capacita a receber de Deus a vida eterna, lembrando que para sermos o primeiro, temos que colocar todos os outros na nossa frente. O jovem rico queria a vida eterna sim, mas para si, não se importando com os outros.

10,32-45 – Podeis vós beber o cálice que eu vou beber

32. Jesus e os discípulos estavam a caminho, subindo para Jerusalém. Jesus ia na frente. Os discípulos estavam espantados, e aqueles que iam atrás estavam com medo. Jesus chamou de novo os Doze à parte e começou a dizer-lhes o que estava para acontecer com ele: 33. "Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem vai ser entregue aos chefes dos sacerdotes e aos doutores da Lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos. 34. Vão caçoar dele, cuspir nele, vão torturá-lo e matá-lo. E depois de três dias ele ressuscitará." 35. Tiago e João, filhos de Zebedeu, foram a Jesus e lhe disseram: "Mestre, queremos que faças por nós o que vamos te pedir." 36. Jesus perguntou: "O que vocês querem que eu lhes conceda?" 37. Eles responderam: "Quando estiveres na glória, deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua esquerda." 38. Jesus então lhes disse: "Vocês não sabem o que estão pedindo. Por acaso vocês podem beber o cálice que eu vou beber? Podem ser batizados com o batismo com que eu vou ser batizado?" 39. Eles responderam: "Podemos." Jesus então lhes disse: "Vocês vão beber o cálice que eu vou beber, e vão ser batizados com o batismo com que eu vou ser batizado. 40. Mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou esquerda. É Deus quem dará esses lugares àqueles, para os quais ele preparou." 41. Quando os outros dez discípulos ouviram isso, começaram a ficar com raiva de Tiago e João. 42. Jesus chamou-os e disse: "Vocês sabem: aqueles que se dizem governadores das nações têm poder sobre elas, e os seus dirigentes têm autoridade sobre elas. 43. Mas, entre vocês não deverá ser assim: quem de vocês quiser ser grande, deve tornar-se o servidor de vocês, 44. e quem de vocês quiser ser o primeiro, deverá tornar-se o servo de todos. 45. Porque o Filho do Homem não veio para ser servido. Ele veio para servir e para dar a sua vida como resgate em favor de muitos."

O primeiro anúncio da Paixão Jesus fez após a linda profissão de fé de Pedro: “Tu és o Cristo” (Mc 8,29), o segundo em Mc 9,31 pouco tempo depois da Transfiguração onde ouviram: “Este é o meu Filho muito amado; ouvi-o” (Mc 9,7), o terceiro agora, a caminho de Jerusalém. Pelo que podemos perceber não houve muito avanço de lá para cá, mesmo tendo participado de todas estas revelações, eles continuam sem entender a missão de Jesus.

Jesus ia adiante deles” (v,32). Não devemos interpretar a frase de forma literal, pois Jesus sempre seguia a frente, o destaque foi dado justamente para ressaltar que o Messias tinha consciência do que estava para acontecer, já o mesmo não se podia dizer dos discípulos, pois era visível a insegurança e o medo.

Pelo pedido de Tiago e João continua firme a idéia de um Messias triunfante, e é lógico a visão de recompensa e poder. A mentalidade dos discípulos era a mesma dos governantes da época, conquista e poder. Diante da indagação de Jesus, se eles poderiam beber do cálice e participar do batismo, imediatamente respondem que sim. (Fica a lição para nós) A ambição e o desejo de status cega até os mais sábios. No AT o cálice em algumas ocasiões simbolizava o sofrimento, já o batismo era uma metáfora a paixão de Jesus.

A pedagogia de Jesus continua a mesma, é quase uma lavagem cerebral, “quem quer ser o primeiro, que seja o último”, “quem quer ser o maior que se faça o menor”, “quer agradar a Deus seja um servo humilde”.

10,46-52 – Lance fora sua capa

46. Chegaram a Jericó. Jesus saiu de Jericó, junto com seus discípulos e uma grande multidão. Na beira do caminho havia um cego que se chamava Bartimeu, o filho de Timeu; estava sentado, pedindo esmolas. 47. Quando ouviu dizer que era Jesus Nazareno que estava passando, o cego começou a gritar: "Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!" 48. Muitos o repreenderam e mandaram que ficasse quieto. Mas ele gritava mais ainda: "Filho de Davi, tem piedade de mim!" 49. Então Jesus parou e disse: "Chamem o cego." Eles chamaram o cego e disseram: "Coragem, levante-se, porque Jesus está chamando você." 50. O cego largou o manto, deu um pulo e foi até Jesus. 51. Então Jesus lhe perguntou: "O que você quer que eu faça por você?" O cego respondeu: "Mestre, eu quero ver de novo." 52. Jesus disse: "Pode ir, a sua fé curou você." No mesmo instante o cego começou a ver de novo e seguia Jesus pelo caminho.

Os discípulos que caminharam com Jesus durante toda sua missão, não aprenderam o que o cego aprendeu em poucos minutos. Bartimeu, cego e mendigo, foi colocado a “beira do caminho” (v.46), ou seja, a margem da sociedade que excluía e que não dava chance ao indigente. Sabendo ele quem ali passava, põe-se a gritar: "Jesus, filho de Davi, tem compaixão de mim!" (v.47), e contrariando a atitude dos discípulos, independente do que lhe poderia acontecer, e indiferente a multidão, continuou a dar testemunho de que Jesus era o “Messias”, pois o titulo “Filho de Davi” representava justamente isso.

Enquanto os discípulos se digladiavam para garantir posição e segurança, Bartimeu ao receber o chamado de Jesus “Lança fora a capa” (v.50), em outras palavras, joga fora a única garantia que ele tinha de abrigo, seu manto era seu teto, e desejou uma única coisa, poder ver. Tão logo recuperou a visão, também viu a gloria de Deus através da libertação trazida por Jesus.

Texto: Ricardo e Marta
Revisão: Padre Rivaldo

Capítulos Anteriores: I - II - III - IV - V - VI - VII - VIII - IX

Bibliografia: - Atlas Bíblico (Wolfgang Zwicket - Ed. Paulinas) - Bíblia Tradução Ecumênica (Ed. Loyola) - Bíblia Sagrada Pastoral (Ed. Paulus) - Bíblia Ave-Maria (Ed. Ave-Maria) - Dicionário Bíblico (Ed. Paulus) - Dicionário de Símbolos (Ed. Paulus) - Coleção como ler (Ed. Paulus)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante para nós.

Em que consiste o Magistério da Igreja Católica

Poço de Jacó

Poço de Jacó

Pesquisar este blog

Carregando...

Translate